GRITO DE GUERRA

•abril 29, 2010 • Deixe um comentário

Guerreiros da Salvação

Somos chamados para lutar

Nossa vitória vamos buscar

É pela força do perdão

Que vencemos qualquer tribulação

E nessa hora a nossa oração

Vira motivo de canção

Porque tudo fizemos com amor

Onde Jesus é nosso único Salvador

Mesmo a dor e o sofrimento

Não vai tirar o nosso sentimento

Que seja aqui

Ou em qualquer lugar

Onde estivermos

Vamos gritar

Que o vermelho é campeão

No EJC e em nosso coração (bis)

Então agora, é hora de se entregar

É hora de se abraçar

Este lugar vai tremer

Pois agora é hora de vencer

Somos guiados pelo amor

Como Sal e Luz

Assim é nosso Senhor

Somos Guerreiros da Salvação

E nessa Gincana seremos campeão

Que seja aqui

Ou em qualquer lugar

Onde estivermos

Vamos gritar

Que o vermelho é campeão

No EJC e em nosso coração (bis)

Aprender com o cego Bartimeu

•abril 23, 2010 • Deixe um comentário

Aprender com o cego Bartimeu

Fabrício Neto
Foto: Wesley Almeida

Abra a Bíblia no Evangelho de São Marcos 10, 46-52:

“Chegaram a Jericó. Quando Jesus estava saindo da cidade, acompanhavam-no os discípulos e uma grande multidão. O mendigo cego, Bartimeu, filho de Timeu, estava sentado à beira do caminho. Ouvindo que era Jesus Nazareno, começou a gritar: ‘Jesus, Filho de Davi, tem compaixão de mim’. Muitos o repreendiam para que se calasse. Mas ele gritava ainda mais alto: ‘Filho de Davi, tem compaixão de mim’. Jesus parou e disse: ‘Chamai-o!’ Eles o chamaram, dizendo: ‘Coragem, levanta-te! Ele te chama!’ O cego jogou o manto fora, deu um pulo e se aproximou de Jesus. Este lhe perguntou: ‘Que queres que eu te faça?’ O cego respondeu: ‘Rabûni, meu Mestre, que eu veja’. Jesus disse: ‘Vai, tua fé te salvou’. No mesmo instante, ele recuperou a vista e foi seguindo Jesus pelo caminho”.

A vida deste homem era uma rotina: mendigar. Naquele tempo, mendigo e cego eram pessoas desprezadas, como hoje. Muitas vezes, nós paramos apenas no milagre que Deus fez na vida de Bartimeu: a cura de sua cegueira. Mas hoje somos convidamos a ir além.

Jesus tem o poder de curar, Ele pode resolver todas as situações por mais difíceis que elas sejam. Mas, para isso, precisamos ter a coragem de dar ao Senhor o lugar que Lhe é de direito. A primeira atitude do cego foi ver que Cristo estava passando e ir ao encontro d’Ele. Ele tinha ouvido falar muito n’Ele. Nós também ouvimos muitas coisas sobre Jesus. O que nós fazemos? Muitas vezes, esse é o primeiro passo.

“Quando optamos por seguir a Jesus, por gritar só por esse Nome, muitas pessoas querem abafar esse grito de socorro”
Foto: Wesley Almeida

Esse ‘ouvir falar’ é a isca que o Pai usa para ‘fisgar’ você para o Seu Reino. O cego ouviu e gritou por compaixão a Jesus. Bartimeu gritou certo: “Jesus, filho de Davi, tem compaixão de mim”. Muitas vezes nós gritamos para pessoas erradas e perdemos a oportunidade de ser ajudados pelo Filho de Deus.

Bebidas, falar com a vizinha e os amigos, ir fazer compras no shopping… não resolvem os seus problemas! Peça ajuda a quem realmente ama você. Nós não podemos gritar para qualquer um, nem seguir qualquer filosofia!

Quando optamos por seguir a Jesus, por gritar só por esse Nome, muitas pessoas querem abafar esse grito de socorro. O cego Bartimeu gritou mais de uma vez, ele tinha segurança de que Cristo poderia ouvi-lo. Também precisamos ser assim!

Por que Jesus não o atendeu na primeira vez? O Senhor queria provocar esse homem para ver até que ponto ele queria a Sua ajuda. Por vezes nós nos desviamos da inspiração que nos foi dada no primeiro obstáculo. Cristo provocou a fé daquele homem. O que você faz: persiste ou desiste?

O cego não parou na situação que poderia fazê-lo desanimar na fé. Ele tinha um objetivo e sabia o que queria. Precisamos ter a coragem de sair da situação de comodismo para buscar a cura. Nós queremos que Jesus nos cure, mas não temos a coragem de sair da situação de comodismo, com os mesmos pecados e hábitos.

Você tem fé o suficiente em Jesus para sair da situação que o prende na sua cegueira? A graça de Deus não acontece na nossa vida porque o Senhor não pode realizá-la , pois Ele sempre pode, mas porque o Pai quer que você saia do comodismo e confie n’Ele!

Estar com o Ressuscitado não significa vida boa o tempo todo: não é água de coco e sombra fresca. Só canta “Nada poderá me abalar” quem vive alguma dificuldade. Você só pode reconhecer que sua força e vitória é Jesus se vive situações de dificuldade. O cego Bartimeu nos ensina hoje a ter as mesmas atitudes dele.

Nós ouvimos demais o que as pessoas falam, precisamos ouvir a voz do Alto. Jesus disse ao cego: “Vai, a tua fé te curou”. Quando nós fazemos a experiência com Cristo, Ele não cobra que O sigamos. Nós somos livres. O seguimento é uma resposta de gratidão voluntária nossa. Nós nos perdemos porque achamos que segui-Lo é uma obrigação.

Se nós vivermos um relacionamento de troca com o Pai, vamos nos frustrar. Seguir o Pai é uma resposta de gratidão com a obra maravilhosa que Ele fez em  nossa vida. Esses passos precisam ser dados várias vezes.

Nós temos a péssima mania de querer sempre mais, de cobrar as coisas. Jesus nos cura uma vez, nós começamos a segui-Lo, mas depois de um tempo nos acomodamos novamente. Precisamos trilhar esse caminho do cego Bartimeu sempre! Não podemos nos acomodar, é preciso reinventar todos os dias.

“Se nós vivermos um relacionamento de troca com o Pai, vamos nos frustrar”
Foto: Wesley Almeida

Talvez Jesus Cristo esteja passando na frente do seu problema neste momento e você não está vendo. O Pai  lhe pergunta hoje: “O que queres que eu te faça”? Tenha coragem de colocar o seu problema nas mãos de Deus. Ele quer dar vida nova a você!

Transcrição e adaptação: Ariane Fonseca

Fotos dos Pais Adotivos

•abril 23, 2010 • Deixe um comentário

Vejam algumas fotos dos pais adotivos, prova para o EJC.

PARA VISUALIZAR AS FOTOS POR COMPLETO, VOCÊ PRECISA CLICAR NA DIREITA EM FOTOS – PAIS ADOTIVOS.

I EJC – Tema: “Jovem seja forte, corajoso e deixe-se conduzir pelo Espírito”

•abril 23, 2010 • Deixe um comentário

O Círculo Vermelho esse ano, teve como coordenadores Everaldo e Djanete. O Círculo foi composto de 22 encontristas, que foram:

Alexandre Justino da Silva

Carla Cristina de Almeida Silva

Carolina Gama Martins dos Santos

Carla Rafaela dos Santos Braga

Duana Laísa de Almeida da Silva

Débora Míria do Nascimento Macêdo

Ednalva Maria Morais de Azevedo

Hortencia Valquiria Jacinto Chalegre

Fábia Vanessa Jacinto Chalegre

Joice Fernanda da Silva Freitas

Lucas de Almeida Santos

Ligia Maria de Almeida Silva

José Ladislau dos Santos Neto

Janderson Flávio da Silva Macedo

Marcel Espindola Silva

Marilia Dark da Silva Almeida

Michelyne Pacheco Calado

Maria Ivaneide de Macedo Melo

Maria Helena Santos Almeida

Marlisson Jacinto Cintra

Nubia Roberta Ferreira da Silva

Roberta Nayara Leite de Sobral

Esse EJC, ocorreu no ano de 2007, existia somente 60 encontristas, e a idade dos mesmos variaram entre 15 a 22 anos. Várias foram as coisas que ocorreram já nesse Círculo. Além das reuniões quinzenais como de costume, o Círculo também participou de algumas viagens. Teve a viagem a Serra Negra, onde tanto o círculo vermelho como os demais foram a mesma viagem, os encontristas se tivertiram muito. O Círculo promoveu porém um passeio exclusivo para os membros do vermelho, uma viagem a Saloá, a de se ressaltar que essa mesma viagem foi uma das melhores que o grupo fez. Algumas curiosidades podem ser ressaltadas, como por exemplo: foi o Círculo Vermelho o primeiro grupo a organizar o Pós-Encontro (salvo para o Pós realizado pelos os coordenadores do I EJC para os mesmos) . Esse Pós, feito pelo o vermelho exigiu logo de cara, muito dos membros, iniciava-se assim, descobrimento de talentos e superações de cada um, seja em peças teatrais, em ornamentações, ou até mesmo na organização dos encontros e eventos. Não se deve esquecer, que assim como de costume ao realizar o Pós-Encontro do mês, o Círculo Vermelho realizou também a Missa do EJC, é muito lembrado nessa Missa a atuação marcante de Djanete, juntamente com alguns membros . Nesse ano não houve Gincana.

Uma das participantes desse Círculo foi Duana Laíssa, que relembra: “Não tem como esquecer tudo que vivemos, foi muito divertido, aprendemos a conhecer um Deus que não sabíamos direito que existia, claro que o cansaço as vezes também lutava contra nós para nos distanciar, mas foi tudo muito bom. “

Vale lembrar também, que existia algumas figuras que se destacaram no grupo por sua maneira e forma de se expressar, eles gostavam muito de falar nas reuniões, não foi por acaso que no II EJC eles foram Coordenadores do Círculo Verde, o nome deles são: Alexandre Justino e Michelyne Pacheco. Inclusive, hoje Alexandre Justino, está cada vez mais envolvido com os ensinamentos de Deus, tanto que atualmente dedica parte de sua vida, se não toda, a ajudar e evangelizar famílias carentes, em outros municípios da região. Eterna saudades. Um dos caras que também participou desse Círculo e ficou conhecido por sempre ajudar o EJC com seus cartões religiosos, impressões e tudo mais, foi Marlisson Jacinto. Mais na frente uma “pequenina” também destacou-se com sua ajuda nos encontros que viriam, ela se chama Núbia Roberta.  Uma outra integrante desse Círculo também vira a se descatar por seu talento e dedicação ao EJC, ela hoje se encontra em ensaios com a Bandinha do EJC, seu nome é Carla Cristina. Houve somente uma mudança de coordenação nesse período, passando de Everaldo e Djanete para Ladislau e Michelyne. Não se deve esquecer, que entre essas reuniões um fator chave tornava-se essencial e marcante no EJC, era o famoso “biscoito”. Ele sem dúvida, assim como outras coisas é símbolo real em nossas reuniões.  Obrigado a todos vocês, mesmo o que aqui não expresso, mas que iniciaram mesmo sem perceber uma corrente de paz, dedicação, força, perseverança, fé e amor para as gerações futuras que um dia iria ter a oportunidade de conhecer melhor a Deus e assim continuar com a missão.

II EJC – “Jovem tu és o templo de Deus, levanta-te e conquista a vida para qual foste chamado”

O Círculo Vermelho esse ano, teve como coordenadores Júnior e Manuela. O Círculo foi composto de 20 encontristas, que foram:

Maria Adriana da Silva Santos

Daniele Kelly de Oliveira

Samira de Souza Queiroz

Jéssica Fernanda de Macêdo

Jandeilson dos Santos Demétrio

Marciel Max Matias de Almeida

Juarez Afonso da Silva

Romualdo Amorim de Souza

Mirelly Alves da Silva

Maria Aline Alves da Silva Oliveira

Jackeline Justa de Melo

José André Melo

Juliana Angélica Theodora de Almeida

Alex Patrício da Silva

Lidiane Cavalcante da Silva

Leyd Kedyma Alves de Barros

José Marciano Lopes da Silva Jr.

Rosa Emília de Abreu Santos

Carlos Romero Leandro dos Santos

Gerci Cláudia Maciel de Albuquerque

Círculo marcado pelo divertimento e atuações onde se encontravam. Em suas reuniões várias foram as vezes que adicionaram ao biscoito, um encremento a mais, como doces, almoço, chocolates e etc. Esse EJC, ocorreu no ano de 2008, existia dessa vez 80 encontristas, e a idade dos mesmos variaram entre 17 a 25 anos. A I Gincana surge esse ano, todos se preparam, brincam, se divertem, provas difíceis e engraçadas. O nome da equipe na Gincana, era: “Leões de Judá”, ao fim, o Círculo Vermelho consegue ficar como vice, perdendo apenas para o Círculo Laranja. Fotos e mais fotos foram tiradas, em destaque para a mascote que mais aguentou calor naquela roupa envolvente e pesada, porém não deixou a petaca cair, e sem dúvida foi uma das melhores mascostes, nos ensinando que mesmo no cansaço devemos sorrir, seu nome: Adriana Silva.

Houve vezes, que o círculo foi marcado infelizmente por alguns momentos de desordem, no entanto, isso não foi suficiente para abalar o coração daqueles que Deus os chamou. A resposta veio logo adiante, com participações e destaques também importantes para o EJC. A exemplo, começamos com os próprios coordenadores: Júnior e Manuela, que foram encontristas do I EJC, onde os dois participavam do Círculo Azul. Esses coordenadores nem imaginavam que futuramente iriam torna-se Coordenadores do J7. Essa coordenação é composto de Sete Jovens, com prioridades diferentes, porém com responsabilidades iguais. Júnior, é o Jovem Pós-Encontro, que fica responsável por auxiliar e resolver problemas referentes aos encontristas, bem como tirar dúvidas dos mesmos. Já Manuela cuida daquela parte que todo mundo quer cuidar, porém não quer responder por os atos cometidos na função, ela é a Jovem Finança. Dois jovens também se destacaram nesse círculo onde ambos, foram coordenadores do III EJC. Uma é Jackeline Justa, famosa Jack, menina que adora falar, adorada por todos, sofreu muito para poder está onde está, guerreira. Essa foi coordenadora do atual Círculo Laranja. Valeu por tudo. O outro é José André, ou para os mais íntimos, Negão. Cara batalhador, que aprendeu desde cedo que a vida não é nada fácil, mais assim como Jack, Deus tinha planos verdadeiros e fiel para ambos. Existia também nesse Círculo uma garota meio tímida, mas que logo logo ao conhecer melhor os demais fora se mostrando fiel, ela hoje faz parte da Comissão Avaliadora da II Gincana, seu nome é Rosa Emília. A uma galega, junto com uma morena inseparáveis, falam, falam, falam……e quando acham pouco falam (risos). Divertidíssimas, são: Lindiane e Leyd Kedyma. Nesse ano, houve duas mudanças de coordenação de Círculo, a primeira ficou a responsabilidade de Alex Patrício e Mirelly Alves. E a segunda, ao cargo da “palhaça” Adriana e da baixinha Jack. Houve também um cara que assim como Marlisson ajudou com seus papéis, tinta, impressoras e etc, para as atividades do EJC, seu nome é Carlos Romero, ou Carlos da Geo. (olha a propaganda). Enfim, mais um ano se passou, e saudades todos vocês deixaram, de alguma forma, de algum jeito. Souberam criar e resolver situações que nem imaginavam que eram capazes. Parabéns a todos.

III EJC – Tema: “Jovem, não tenha medo, fique firme e veja o que Deus fará para salvar você”

O Círculo Vermelho esse ano, teve como coordenadores Thiago e Josiane. O Círculo foi composto de 20 encontristas, que foram:

Ana Karla Alves da Silva

Andreza Santos de Morais

Carlos Ailton Macêdo da Silva

Débora Zulmira de Souza Fonseca

Deysiane Kelly do Nascimento Macêdo

Edwalquíria da Silva Menezes

Eva Maria Morais de Azevedo

Felipe Caetano dos Santos Batinga

Higor Carlos Alves da Silva

Jackson Bruno Porciúncula da Silva Soares

Jaedson Silva Simões

José Felipe de Almeida Amorim

José Gilmar de Barros

Joyce Pereira Melo Ramos da Silva

Lavínia Raimundo Valença Silva

Lucas Rodolfo Inácio da Silva

Maria José de Melo

Maycon Antonio Lopes dos Santos

Pedro Henrique Simões Bezerra

Romanna Paula Alves Almeida

Esse EJC, ocorreu no ano de 2009, mais uma vez 80 encontristas participaram, e a idade dos mesmos variaram entre 16 a 22 anos. Vale lembrar que até esse EJC, o Diretor Espiritual do encontro fora Pe. Quirino, antigo Pe. da nossa Igreja de Santo Antônio.  O mesmo, se encontra atualmente na cidade de Sairé, continuando sua missão. Agradecemos de coração por todo seu apoio. Hoje, a praticamente às vésperas do IV EJC, o Diretor Espiritual será outro Pe. Elias, vindo da cidade de Taquaritingua do Norte-PE.  Nós abrimos os braços e coração para você Pe. Elias, que Deus lhe conduza cada vez mais ao caminho da Santidade, contamos com sua gratidão e apoio.  Bem esse Círculo em especial, há muito o que dizer. Assim como os demais Círculos, o atual vermelho é incrementando de talentos. Vão daqueles que gostam de música, como Jackson, Débora e Maycon, como aqueles por onde passa deixa rastros de sua perfeição no que se refere a ornamentação, a exemplo temos Gilmar (Galego). Não podemos esquecer que ainda existem os cabeças, sim aqueles que sempre estão por dentro de algum assuntos, eles são inseparáveis e bastante dedicados naquilo que fazem, são: Pedro e Rodolfo. Higor e Ana Karla, são aqueles irmãos ora ausentes, ora presentes, feito aquele filme em pronome: Eu, tu, eles. O incansável, irreverente e alegre Maza, também recheia esse bolo cheio de surpresas. Há ainda Eva, a garota que enfrenta qualquer situação. Até agora nesse Círculo houve somente uma mudança de coordenação, que foi de Thiago e Josiane, para José Felipe (Féh) e Maria José. Parabéns a vocês. Existem duas criaturas magrinhas e lindas, tanto que não se desgrudam, nem quando uma delas está o namorado, são elas: Romanna e Joyce. Falando em namorado, esse Círculo agradece a essa figura que tanto nos ajudou palhação e adora tirar sarro de Maza, seu nome é Eduardo (Edu). Assim como Edu, duas outras pessoas também se fizeram bastante presentes em nossas reuniões. Todos os dois nos encantam com sua simpatia, uma é Adlinele (Dina) e o outro é Naldinho, homem de fé e coragem. Todos nós nos sentimos honrados de poder ter contado com vocês. Como aqui é o melhor espaço para falarmos do Círculo, não podemos deixar de mão algumas outras figuras, como Edwalquiria (Wal), suas orações nos acalma. Lavínia e Jaedson, grandes companheiros. Felipe Caetano, que esteve conosco sempre. Deysiane e Andreza nos apoio em seu limites.

Thiago  antigo coordenador do círculo reelembra: “….Não devemos esquecer, de nossos passeios. Quantos de nós não queremos está de volta lá no Sítio de Josiane? Inesquecível, como Deus falou, como Ele agiu. Orações que tocaram. Fora as dinâmicas e as brincadeiras. Aprendemos a nos conhecer melhor, nossas histórias embalou cada um, aprendemos um com o outro. Nem acreditávamos em nós mesmos, éramos como crianças aprendendo a dá os primeiros passos, nos dizíamos fortes, corajosos, tentávamos enfrentar tudo. Não adiantava o nosso medo e as vezes nossos sofrimentos escondiam em nossa cara, como mascares, toda nossa fragilidade. Fragilidade essa que não era assumida. Mas sim, consumida aos poucos. Entao, alguém meio que sem explicação nos dava um jeito de nos lembrar que éramos queridos, amados. Amados?! Sim, esse era o sentimento que começava a fazer parte de nossas reuniões, a discurssões, o cansaço, até que existiam, eles davam um jeito de aparecer, mas agora era diferente, algo nos movia. Reuniões e mais reuniões, Pós-Encontro e mais Pós-Encontro. Vale lembrar nossa Confraternização, que beleza, comes e bebes, estávamos a toa. Os desafios nesse Círculo foram maiores, e foi dada a largada para a II Gincana. Eventos ocorridos, valeu a pena ver cada sorriso, de cada um. Doações feitas. Foram um monte de provas. Foram várias superações. Mas o que não sabíamos é que nossa verdadeira competição, não é com os demais Círculos, mais sim com nós mesmos. É uma competição individual e particular, de superação, de força e coragem. É saber que somos tão poucos, mas que podemos fazer tanto. Saber que podemos lutar contra nossos limites. Quem acreditaria que podíamos? Quem nós guarda no fim de tudo isso? Quem nos espera? E assim o tempo passou, como tudo que passa, e como o vento que sopra, nossa vida não para, nossas lutas não cessam, nossa batalha é eterna. Será o fim do arco-íris o qual buscamos? Que tesouros encontraremos? Possa ser que nós diante de tantos tesouros e diamantes, encontremos um dentre tantos que seja, menos brilhante, mais ofuscado, que ninguém dê valor. Entao é aí que realmente encontramos todo o sentido de nossa caminhada. Pois assim como o diamante que ao redor de tantos tesouros, permanece sem brilho, somos nós sem Deus. Sem brilho. Que cada um de nós procure encontrar seu próprio tesouro, seu diamante perfeito. Vocês já fazem parte de minha vida.

Artigos Relacionados a Igreja Católica

•abril 23, 2010 • Deixe um comentário

Os dons do Espírito Santo

Vamos passar à explicação dos sete Dons: Sabedoria, Entendimento, Conselho, Fortaleza, Ciência, Piedade, Temor de Deus. É preciso compreender cada conceito e o seu significado.

- A Sabedoria é o dom que faz o cristão perceber, intuir e gostar das coisas espirituais. Sente deleite nas coisas de Deus e por isso começa a temer a Deus, a respeitá-Lo mais. Diz o salmo que o temor de Deus é o princípio da sabedoria.

- O Entendimento é o dom do conhecimento, pois a pessoa consegue entender e conhecer aquilo que vai no coração e na mente das pessoas. O Padre Pio era um sacerdote que tinha o dom do entendimento. Ele servia-se do seu dom para ajudar muitas almas. Quando alguns penitentes iam ter com o Padre Pio e, por esquecimento ou timidez, escondiam este ou aquele pecado, o Padre Pio lembrava-lhes: “Falta-te este pecado que cometeste duas ou três vezes”. Este dom é utilizado unicamente para o bem do penitente.

- O dom do Conselho: quem o possui consegue dirigir, orientar e aconselhar as almas para a sua própria salvação e felicidade. O dom do conselho que é dado pelo Espírito Santo não é inconveniente, interesseiro, não aconselha segundo a conveniência pessoal mas aconselha somente para o bem da pessoa. Este dom constitui uma preciosidade, pois alerta-nos para os erros que cometemos ou soluções que necessitamos.

- O dom da Fortaleza é também uma virtude. A virtude é um bem e um dom dado pelo Espírito Santo que diz “não” ao pecado, a uma boa proposta, à pressão social, a certas modas que prejudicam a vida espiritual do homem ou da mulher. O dom da fortaleza faz com que o cristão saiba resistir a certas influências sociais e não se deixe conduzir pela pressão do grupo social ou de amigos onde está inserido. Com este dom a pessoa mantém a sua personalidade, sendo aquilo que realmente é, conservando os valores cristãos.

- O dom da Ciência permite ao homem perceber e sentir, através da natureza e dos acontecimentos do dia-a-dia a presença e a linguagem de Deus.

Quem possui o dom da ciência consegue louvar a Deus, olhando para as belezas da natureza, para a beleza de um jardim, das montanhas, da água do mar, do céu azul, das estrelas. Através da natureza, a alma lê e louva o seu Deus, agradecendo-Lhe enquanto observa uma linda flor. Em vez de ficar fixo apenas na beleza da flor, louva o autor da criação, louva o Criador.

- O dom da Piedade inclina o cristão à oração, ao louvor, à adoração, à contemplação; leva o cristão a sentir gosto pela oração, sentir desejo e gosto de estar com Deus, gosto em rezar e em falar com Deus através da oração.

O dom da piedade faz com que a pessoa não se canse de rezar e se sinta bem a rezar. Através deste dom, Deus vai revelando aspectos espirituais que muitos não percebem.

A alma piedosa tem mais luzes e percebe melhor as coisas a nível espiritual. Aquele que não reza não percebe, não entende e não vê porque não lhe é permitido ver.

Há pessoas que dizem: “Mas padre, eu rezo tanto!” e eu pergunto: “Como reza?”. Não basta rezar, é preciso rezar bem, meditando nas palavras e nos mistérios que contemplamos da vida de Jesus. Experimentem rezar bem, concentrados, compenetrados e verão as maravilhas que Deus irá realizar nas vossas almas.

É lindo rezar bem. A pessoa sente na alma uma grande paz, suavidade, gozo e alegria.

- O dom do Temor de Deus leva-nos a fugir do pecado com receio de ofender e de perder Quem amamos – o nosso Deus. Este dom está, em certa medida, associado ao dom da fé porque nos faz sentir e perceber que estamos na presença de Deus e, se estou na Sua presença, não quero pecar.

O temor de Deus é um grande dom pois faz com que o homem faça tudo para não perder a graça de Deus, o Seu amor e a Sua presença. Por isso, o temor de Deus é o princípio da sabedoria.

Desta forma falamos sobre o significado de cada dom e de cada fruto do Espírito Santo, para melhor compreendermos a necessidade de invocarmos e suplicarmos ao Espírito Santo que aumente em nós os Seus dons e frutos, perseverando-nos neles até à morte.

Padre Manuel Sabino, Fundador dos Servos do Bom Pastor
Fonte:
http://www.servosdobompastor.net/EnsEspiritoSanto.html

A história dos ovos de Páscoa

Publicado 2009/04/07
Author : Maria Angélica Iamasaki

O início dessa tradição remonta ao século IV e tem estreita vinculação com a Quaresma. Nessa época era proibido o consumo de ovos durante o período penitencial de quarenta dias

Desde tempos imemoriais, o ovo é tomado como símbolo de vida e de renascimento. Quando, porém, começou ele a ter relação específica com a festa da Páscoa?

O início dessa tradição remonta ao século IV e tem estreita vinculação com a Quaresma. Nessa época era proibido o consumo de ovos durante o período penitencial de quarenta dias. Desse modo, acumulava-se uma grande quantidade deles nas despensas familiares. Para evitar o desperdício, eles eram dados à criançada.

Assim, a partir da Quinta-Feira Santa as crianças, precedidas pelos coroinhas da Paróquia, começavam a coletá-los de casa em casa. E no domingo de Páscoa eram transformados em omeletes e saboreados por toda a população.

Ovos bentos e decorados

No século XII existia já, em numerosos países da Europa, o costume de os fiéis se presentearem mutuamente, no dia de Páscoa, com ovos naturais bentos na igreja.

Aderindo a esse costume popular, os nobres e personalidades importantes o enriqueceram de uma característica cultural: os ovos passaram a ser ornados com cenas pintadas, não poucas vezes, por futuras celebridades do mundo artístico.

Por volta do século XVI, surgiu mais um aperfeiçoamento. Alguém teve a idéia de furar o ovo, e substituir seu conteúdo natural por uma “surpresa”, a qual, conforme a categoria da pessoa presenteada, poderia ser constituída de perfume, minúsculos objetos decorativos ou até mesmo jóias.

No século XVIII, o Rei Luís XIV mandava benzer no dia de Páscoa grandes cestas de ovos dourados, que ele distribuía depois ao pessoal da Corte. Por essa mesma época, passou-se a esvaziar os ovos naturais para recheá- los de chocolate.

Atualmente, os ovos de Páscoa são de chocolate, de marzipã ou de uma mistura dos mais diversos ingredientes, e fazem a alegria de crianças… e adultos de todo o mundo.

Jóias de fascinante beleza

Nessa matéria, o auge do requinte foi atingido na Rússia de fins do século XIX. Por ocasião da Páscoa de 1885, o czar Alexandre III decidiu oferecer à czarina – não um simples ovo natural, embora com artísticos desenhos – mas uma peça toda feita de ouro e ornamentada na mesma proporção de riqueza.

A execução foi encomendada ao melhor joalheiro de São Petersburgo: Peter Karl Fabergé. E no domingo da Ressurreição, a czarina recebeu das mãos de seu imperial esposo uma jóia de fascinante beleza, confeccionada em ouro, prata, esmalte e rubis.

A partir daí, todo ano o czar fazia nova encomenda e Fabergé se esmerava em superar a do ano anterior. Desse modo formou-se a fabulosa coleção de 56 ovos de Páscoa, famosa no mundo inteiro.

À riqueza do material – ouro, platina, safiras, esmeraldas, rubis, diamantes, cristais – o joalheiro juntava sua apurada técnica de esmaltar e, sobretudo, seu grande senso artístico. Cada peça é uma autêntica obra de arte, própria a provocar um regalo não só para os olhos, mas, sobretudo, para a alma.

Agrada constatar como o costume dos ovos de Páscoa – nascido, dentro da Santa Igreja, de uma banal necessidade doméstica – adquiriu uma conotação religiosa, espalhou-se pelo mundo e atingiu por fim esse requinte de arte e civilização.

(Revista Arautos do Evangelho, Abril/2005, n. 40, p. 35)

Breve História da Paróquia

•abril 18, 2010 • Deixe um comentário

Breve história da Paróquia da Santo Antonio:

  Paróquia Santo Antônio (1944)
Praça D. Expedito Lopes, s/n Centro
55.380-000 Cachoeirinha – PE
Fone: (81) 3742.1277
Administrador Paroquial: Pe. Antônio Quirino da Silva

  Comunidades Urbanas:
Matriz, Mãe Rainha, Vila Pombos, Vila Tancredo, Vila São Sebastião, Vila La Casa e Vila São Gabriel.

  Comunidades Rurais:
Nossa Senhora do Carmo (Ouricuri), Nossa Senhora da Conceição (Cabanas), Nossa Senhora da Conceição (Cachoeira Grande), São José (Caldeirão), Igrejinha e José Jerônimo.

Movimentos da Paróquia

•abril 18, 2010 • Deixe um comentário

Lista Completa

  1. ECC
  2. EJC
  3. RENOVAÇAO
  4. PASTORAL DO MULTIRAO
  5. PASTORAL CARCERÁRIA
  6. TERÇO DOS HOMENS
  7. CENÁCULO
  8. PASTORAL DA FAMÍLIA
  9. GRUPO FONTE DA VIDA
  10. ROSA DE SARON
 
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.